Cães medrosos ou manhosos?

07/03/2023

Medos ou manhas?

Qual a diferença entre medo e manha?

Os cães também têm manhas?

Como distinguir ambas?

Já vimos atrás o que é medo, uma das características do medo é a constância. Se eu tenho medo de leões a rugir, eu vou ter sempre medo de leões a rugir, não é por ser segunda-feira que não vou ter medo de leões a rugir. É constante, pois ameaça a minha integridade física.

Os medos dos cães são similares, ou seja, uma das suas características é a constância. Se tem medo de vassouras, tem sempre medo de vassouras, independentemente de onde elas estejam e com quem estejam.

Sempre que algum medo não é constante, ou é só ocasionalmente, não estamos perante um medo, mas sim perante uma manha, ou medo aprendido, e isto acontece devido à humanização, a tratarmos os cães como humanos.

Se virmos alguém com medo de algo, a nossa reação é ajudar a pessoa, dar-lhe força e motivá-la a ultrapassar esse medo.

Tentamos fazer isso com os nossos cães, mas o resultado é o oposto, isto porque não são seres humanos, são cães, comunicam e racionalizam de maneira diferente e tentamos ajudar, mas o resultado é o oposto.

Para um cão só há preto e branco, é como um interruptor da luz, ou está ligado, ou desligado, ou é, sim, ou é não, ou é, ou não é.

Se o vosso patrão der-vos dinheiro sempre que vão beber café e nos dias que não forem trabalhar levar-vos dinheiro a casa e mais dinheiro que aquele que ganham diariamente, vão chegar a um ponto em que não vão trabalhar, pois tudo indica que ele vos quer em casa.

Mas se depois esse mesmo patrão vos despedir porque vocês não foram trabalhar, vão ficar confusos, pois não vão perceber o porquê dessa atitude, se ele vos queria a trabalhar, por que vos dava dinheiro quando estavam em casa e nunca vos dava dinheiro extra quando trabalharam e a desempenhavam bem as vossas funções?

O mesmo com os nossos cães.

Percebam que comida e afetos para um cão são como dinheiro para nós.

Se recompensamos com afetos um comportamento de medo, ensinamos ao cão que gostamos dessa atitude e como qualquer coisa que lhes ensinamos com base na repetição, eles vão aprender que determinado comportamento é bom, e com o tempo mecanizam esse comportamento.

Um exemplo disso é a excitação de quando os donos chegam a casa, e os cães saltam-lhes para cima cheios de excitação, e recebem festas, eles aprendem que o estado de excitação dá-lhes direito a festas e atenção.

Ao contrário dos humanos, os cães apreendem “estados emocionais” e associam os mesmos a comportamentos.

Se excitação der origem a festas;

Rosnar e ladrar der origem a afastamento do humano;

Medo der origem a atenção e carinho;

Sempre que eles queiram um resultado, procuram o estado e o comportamento que dá origem a isso.

Se, por exemplo, ensinarem o vosso cachorro a sentar, deitar e dar a pata, por exemplo, sempre com comida, quando tiverem a recompensa na mão, ele vai-vos oferecer os comportamentos que normalmente dão origem a essa recompensa, então começa a oferecer, senta, se não receber, deita, se ainda assim não receber, vai dar a pata.

O mesmo acontece com o estado de espírito, se aprendeu que o medo lhe dá acesso a carinho e atenção, numa situação de maior ‘stress’, ou só porque, sim, ele vai oferecer exatamente esse comportamento, para ter a atenção e evitar a situação que teria de ultrapassar.

Mas se em vez de receber essa atenção, tiver uma advertência, ou seja, a resposta contrária ao que espera, irá aprender que esse comportamento ou estado emocional, não é mais a resposta para aquela situação.

Não ensinem os vossos cães a ter medo e recompensem com afetos verbais, físicos e comida, apenas o que é bom e vocês querem.

A noção de certo ou errado, é vossa, não deles.

Para vocês pode ser errado subir para o sofá, para mim pode ser certo, não tem mal nenhum.

Para mim pode ser errado um cão saltar para cima e colocar as patas em cima de mim e para vocês pode ser certo e até conveniente se não se poderem baixar, por algum motivo.

Mas lembrem-se têm de ser coerentes, ou é, ou não é.

Não pode ser sim umas vezes e não outras e depois ficarem frustrados porque o cão as vezes faz e outras vezes não.

 

https://quintadapatada.com/wp-content/uploads/2023/05/logo-quinta-da-patada-tp-640x338.png
Sobre
Rua do Murtal, Quinta da Patada Manjoeira, 2660-499 Santo Antão do Tojal
+351 912 385 650 (*)
Segunda - Sexta: 09h00 - 13h00 e 17h00 - 21h00
Feriados - Fim-de-Semana: 09h00 - 13h00 e 15h00 - 17h00

(*) chamada para rede móvel nacional

Reservas
Newsletter

    Todos os Direitos Reservados | Quinta da Patada